21 abril 2017

ADRAL dinamiza protocolo de Aeronáutica do Alentejo

A assinatura do Protocolo de Colaboração do Setor Aeronáutico do Alentejo teve lugar no dia 18 de Abril, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Beja, tendo sido a primeira de muitas etapas com vista ao aumento do investimento, do emprego e da inovação na região Alentejo.

O documento, assinado pela Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDR Alentejo), pela Federação Portuguesa das Indústrias Aeronáuticas Espaço e Defesa, pela Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL), pelos municípios de Beja, Évora e Ponte Sôr, pela Universidade de Évora, pelo Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo, pelo Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEiiA) e pelas associações empresariais do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral, de Évora e de Portalegre, é fruto de um esforço significativo da ADRAL no sentido de estabelecer entendimentos que promovam um melhor e maior impacto deste setor no desenvolvimento da região.


Este protocolo pretende estabelecer formas de cooperação entre os signatários – no respeito pelos objetivos e identidade de cada um –, que juntos procuram promover iniciativas de desenvolvimento no âmbito do setor aeronáutico na região Alentejo, de forma abrangente, inclusiva e geradora de valor acrescentado, alinhadas com a estratégia de especialização inteligente nacional e regional. Considera-se de máxima importância aproximar os territórios, definindo uma estratégia de complementaridade e especialização que potencie maior atratividade nacional e internacional para a instalação de novos projetos de investimento. A ligação entre Ponte de Sôr, Évora e Beja constitui-se, assim, como um fator preponderante no desenvolvimento de um espaço privilegiado de desenvolvimento deste setor.

O recente aprovado Protocolo de Cooperação AED representa as indústrias de Aeronáutica, Espaço, Segurança e Defesa em Portugal, sendo a plataforma única de promoção e suporte ao desenvolvimento competitivo do setor. Com elevada incorporação de agentes dinamizadores agregados numa lógica triple helix, com representação da Academia, Indústria e Agentes Públicos, e com uma forte ligação à sociedade civil, enquanto instrumento de desenvolvimento nacional, foi concebido para proporcionar uma plataforma de colaboração e desenvolvimento à indústria nacional, promovendo e apoiando as iniciativas inerentes ao desenvolvimento sustentado do setor.